Festa do Avante!

Expressão da capacidade realizadora do PCP

Coincidindo com as comemorações do 92.º Aniversário do Partido, entramos igualmente numa fase decisiva da preparação da Festa do Avante!. Está já disponível a EP – Entrada Permanente – para a 37.ª edição da Festa, que terá lugar nos próximos dias 6, 7 e 8 de Setembro na Quinta da Atalaia, Amora, Seixal.

Expressão concreta da capacidade de realização do Partido Comunista Português, a Festa do Avante! é a um acontecimento único e irrepetível, no qual os valores da amizade, camaradagem, fraternidade são uma realidade e onde se vive e respira um ambiente excepcional. O êxito da Festa depende em primeiro lugar da organização do Partido e da JCP, das suas próprias forças, dos seus militantes, amigos e simpatizantes, que tomam nas mãos a execução de uma multiplicidade de tarefas indispensáveis à edificação de uma Festa a cada ano renovada, proporcionadora de novos motivos de atracção para aqueles que não a perdem um ano que seja, e indelevelmente surpreendente para quem decide visitá-la pela primeira vez.

Muitos e diversificados aspectos exigem a atenção da organização do Partido. Desde logo a preparação dos conteúdos políticos e culturais da participação de cada organização regional e sector, a definição da programação dos espaços centrais, a mobilização para os milhares de serviços indispensáveis ao seu funcionamento, a planificação dos projectos e da sua construção que se concretizará mais adiante com o início das jornadas de trabalho, a sua divulgação e promoção e sobretudo a venda da EP.

Comprar já a EP

A EP – Entrada Permanente é um verdadeiro título de solidariedade para com a Festa e o Partido que a realiza. A sua aquisição antecipada é expressão concreta dessa solidariedade. É a venda antecipada da EP que permite tornar cada Festa mais bela que a anterior. É a venda antecipada da EP que permite garantir o êxito da Festa.

Dinamizar a venda da EP constitui uma prioridade para todas as organizações do Partido e da JCP e para cada um dos seus militantes. Alargar a rede de «vendedores», assegurando uma mais ampla distribuição da EP, definir objectivos e metas a atingir, integrar a Festa e a EP na actividade e intervenção geral do Partido, admitir o seu pagamento de formas diversificadas, vencendo constrangimentos, são algumas das formas de consegui-lo.

Muitas vezes se centra a discussão na venda da EP, quando a verdadeira questão que se coloca é a da sua compra. A compra antecipada da EP significa a assunção do compromisso de marcar presença, o compromisso de participar e fazer parte daquela que é a maior riqueza da Festa do Avante!: os milhares de homens, mulheres e jovens que fizeram dela a sua Festa.

A EP dá acesso a três dias ímpares marcados por centenas de espectáculos – do que de melhor se faz na música no teatro, no cinema – pelo desporto, por exposições de artes plásticas, pela ciência, pela gastronomia e artesanato. Pelo contacto com a actividade das organizações do Partido, com os problemas e as lutas travadas de Norte a Sul do País, por dezenas de debates, pela expressão concreta de solidariedade com a luta dos povos no espaço internacional.

Um passo na luta que continua

Na 37.ª edição da Festa do Avante! tem lugar central o centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, que assumirá diversas expressões nos espaços da Festa, com particular destaque para a Exposição do Espaço Central.

Realizando-se a poucas semanas das eleições autárquicas, a Festa constituirá também uma oportunidade de conhecer o projecto e trabalho honesto e competente da CDU, de contactar com os seus eleitos e candidatos e de afirmação do que estas eleições representam como possibilidade de dar força a um projecto alternativo para o País com o voto na CDU.

A 37.ª edição da Festa do Avante! realiza-se, talvez, no quadro económico, social e político mais difícil e complexo que os trabalhadores e o povo português enfrentam desde o 25 de Abril, fruto das consequências do pacto de agressão a que PS, PSD e CDS amarraram o País. Por isso a Festa será sem dúvida uma festa da luta que prossegue, um passo mais na afirmação da política patriótica e de esquerda de que o País precisa e que o PCP propõe ao Povo português.

Notícia jornal «Avante!», Nº 2052 de 29 de Março 2013